O que você precisa saber antes de fazer uma doação

Pesquisas revelam 54% dos jovens brasileiros querem ser voluntários, mas não sabem como começar. Os motivos são diversos. Em geral, as pessoas fazem doações ou contribuições por pressão do grupo, obrigação ou por prazer. Seja qual for o seu motivo, é preciso encarar o ato de caridade como um negócio, que envolve pesquisas prévias, definição de metas e acompanhamento dos resultados. O que se mede não são os resultados financeiros, mas sim, os benefícios efetivos que poderão ser alcançados com o auxílio de sua contribuição.

Veja alguns itens importantes a serem considerados para que você não jogue seu dinheiro fora e realmente ajude quem precisa.

– Aproxime-se de quem já está habituado a fazer doações, e aprenda como essas pessoas executam as contribuições.

– Defina a área que mais precisa de sua ajuda. – Defina a região da entidade a ser beneficiada: Muitas pessoas preferem estar bem próximas das entidades que ajudam. Outras preferem projetos em outros estados.

– Monte uma lista das entidades candidatas à doação.

– Depois da pesquisa, escolha duas ou três instituições que mais se adequam aos seus critérios e faça uma visita.

– Desenvolva um trabalho em conjunto com a entidade. Apresente um projeto por escrito para o qual seria destinada a doação. Além disso, ao ter em mãos um documento fica muito mais fácil cobrar depois.

– Para qualquer doação ser eficaz, você precisa acompanhar os resultados. Peça informes periódicos para a entidade.

– Não é porque você fez uma doação para determinada entidade que poderá entrar lá e comandar tudo do seu jeito.

– Se você não tem condições de acompanhar os resultados do projeto, você pode tornar-se sócio-contribuinte. Nesse caso, você escolhe a entidade e faz doações periódicas.

– Você pode ainda contribuir com entidades beneficentes sem fazer doações em dinheiro. Seja um voluntário. Para isso, aproveite seu conhecimento ou experiência em determinada atividade e ponha isso em prática.