Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Mogi Guaçu – APAE

A APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de Mogi Guaçu foi fundada em 16 de fevereiro de 1973 por um grupo de pais de crianças especiais que buscavam atendimento em cidades vizinhas. A iniciativa desses pais foi o que ajudou a APAE a ser o que ela é hoje. Muito trabalho é dispensado pela direção, profissionais técnicos, equipe de apoio, pais, voluntários e Diretoria para que nosso usuário conquiste o máximo de suas potencialidades desenvolvendo habilidades que melhore a sua qualidade de vida.

O objetivo da APAE é prestar atendimento à pessoa com deficiência, entendendo–a como um ser único em suas especificidades. Orienta e ordena ações Educacionais que favoreçam a inclusão social, sela pela defesa e garantia de direitos da pessoa com deficiência e suas famílias. A APAE conta hoje com 73 funcionários.

 

Missão

Promover e articular ações de defesa dos direitos, prevenções, orientações, prestação de serviço, apoio a família, direcionadas a melhoria da qualidade de vida da pessoa com deficiência, e através de sua inclusão construir uma sociedade mais justa e solidária.

 

Parceiros

Todo o Comércio, Empresas e comunidade em geral.

 

Projetos desenvolvidos

Projeto1: Musicalização

Projeto2: Informática

Projeto3: Atenção Psiquiátrica

Projeto4: Projeto Bem Viver

Projeto5: Hidroterapia

Projeto6: Judô para Todos (Pareceria com a Prefeitura)

 

Proposta pedagógica

Educação Infantil (Modalidade Educação Especial)

Desenvolver um ensino de valorização da essência da criança é um dos principais pilares. Dessa forma, a APAE respeita o ritmo de cada um de seus alunos e o tempo para seu despertar em cada área, possibilitando um desenvolvimento harmonioso como ser humano. A capacidade de aprender da criança deve ser estimulada gradualmente. No começo a criança prestará atenção no que os professores fazem e imitará, mas pouco a pouco por intermédio da manipulação e exploração dos brinquedos, objetos ou materiais que são colocados ao seu alcance, ele descobrirá sozinho, diferentes maneiras de brincar. Hoje a sociedade de modo geral, a tendência é estimular o aprendizado causando uma precocidade infantil.

Desde o nascimento, o meio físico se faz necessário para a aprendizagem, justamente por este contato direto ao meio físico, elas testam suas ideias pelo tato, audição, visão, olfato paladar e área motora. 

Trabalhando os conteúdos nas áreas acima citados com objetivos de:

– Transmitir ambiente acolhedor e seguro;

– Promover o desenvolvimento de vínculos afetivos;

– Desenvolver a autonomia e a ação intencional;

– Compreensão através da linguagem;

– Conhecer as pessoas, o entorno e os fenômenos naturais;

– Desenvolver a percepção sensorial;

– Desenvolver diferentes capacidades posturais;

– Desenvolver as diferentes formas de deslocamento e locomoção;

– Explorar e utilizar movimentos de preensão, encaixe e lançamento;

– Valores humanos;

– Ritmo;

– Alimentação saudável;

– Limites;

– Humanização;

 

A APAE trabalha

– Valores Humanos, Bondade, Beleza e Verdade

– Ritmo diário: Para que vivencie o ritmo, realizaremos atividades dentro e fora da sala, seguindo o ritmo biológico da criança. Este ritmo se repete todos os dias e é o que trás segurança e vitalidade para as crianças.

 

Rotina diária

– Acolhida com roda de conversa e músicas.

– Frutas estimulando os sentidos e também a ingestão de alimentos saudáveis.

– Banho de sol.

– Passeios e brincadeiras ao ar livre.

– Atividades dirigidas, trabalhando os sentidos e movimento.

– Almoço e Jantar: estimulando os sentidos e também a ingestão de alimentos saudáveis.

– Higiene bucal e despedida.

 

Limites

Mesmo sendo pequenas, as crianças já precisam do limite definido pelos adultos. É esse limite que as tornam seguras.

O limite é dado através de palavras, mas principalmente por gestos e atitudes.

O ritmo diário também representa os limites, pois através dele a criança vivencia que o adulto a conduz.

 

Sede da Apae:

 

 

 

 

 

 

 

Endereço: Avenida Padre Jaime, 1082 – Jardim Planalto Verde

Telefone: (19) 3861-1234

Atuação: Pessoas com Deficiências

E-mail: apae@apaemg.org.br

Humanização

Estas crianças acabaram de nascer precisam humanizar suas vontades. Isto porque ela ainda não tem noção do que é certo e errado.

Sendo assim principalmente por ainda não estarem familiarizados com a companhia de outros, acabaram batendo e mordendo os amigos, o que é normal nesta fase. Entretanto os educadores precisam mostrá-los calmamente que isso não pode ser feito. Essa humanização as atitudes também passa por refinar os gestos dos pequenos, que não sabem comer e beber.

E tudo deve ter um sentido, uma razão, algo que produza que a realização de uma atividade esteja vinculada a existência da criança. As atividades cotidianas; são importantíssimas para trazer para os pequenos gestos humanizados.

 

Ensino Fundamental (Modalidade Educação Especial)

Escolarização inicial de 06 a 14 anos e 11 meses

O programa objetiva a formação integral do aluno por meio da escolarização. Contempla o 1º Ciclo do Ensino Fundamental, tendo como base, para a construção de seus objetivos e definição de conteúdos, os Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Fundamental com as devidas adaptações curriculares, bem como o desenvolvimento de currículos funcionais de acordo com as necessidades e peculiaridades dos alunos.

 

Programa Socioeducacional de 15 a 30 anos

Este programa visa dar continuidade ao processo educacional dos alunos que não apresentam condições de inserção no mercado de trabalho e necessitam de apoio nas dimensões: habilidades intelectuais, comportamento adaptativo, participação, interações, papéis sociais, saúde e contexto.

 

Área de Resultado

Prestar atendimento à pessoa com deficiência e seu preparo para o exercício da cidadania oferecendo meios para progredir na escola de educação Especial ou em estudos posteriores no Ensino Comum.

 

Programa Terapêutico dos Serviços de apoio Escolar

Os alunos com dificuldade específica serão atendidos em terapias individuais ou em grupos, com objetivo de auxiliar os programas educacionais.

 

Avaliação dos Alunos da APAE

Na escola de Educação Especial da APAE de Mogi Guaçu a avaliação será realizada por meio do Plano de ensino Individualizado (PEI) e a Ficha de Acompanhamento do Aluno considerando a área curricular, área ecológica, Habilidade selecionada/ meta (o que), objetivo (porque), estratégia (como), responsável (quem), duração (quando) Observação (relatar dificuldades apresentadas durante o processo de aprendizagem).

O resultado da avaliação será mediante:

– Avaliação das capacidades e necessidades do aluno

– Avaliação de como o aluno participa das atividades

– Avaliação do modo como acontecem às atividades

– Avaliação das prioridades da família e avaliadas pelo professor

 

Acima de 30 anos a sem limites de idade

O aluno começa a frequentar o nosso projeto “Bem Viver”

 

Conclusão

A educação deixa de ser algo distante em sua relação com a vida e passa a ser realizada diretamente nos meios onde vivem nossos alunos, ensinando a eles conteúdos que não se perderão com o tempo.

O currículo funcional oferece a oportunidade de aquisição de conhecimento para a vida. Sua ampla abrangência propicia nas condições de promoção da aprendizagem e de desenvolvimento de educando mais comprometidos, necessitando de meios e recursos especiais para superar suas dificuldades e desenvolver seu potencial. Trata-se de um currículo especial, não seriado, individualizado e, por esta razão, mais efetivo no alcance dos objetivos e finalidades da educação para essa população específica.

 

Diretoria Triênio 2017 / 2019

Presidente: Samuel Donizete Faiz

Vice: Douglas William dos Santos

1º Diretor Secretário: Carlos Alberto Lamari

2º Diretor Secretário: Luís Fernando Ferrari

1º Diretor Financeiro: Luciano Martínez Gomes de Andrade

2º Diretor Financeiro: Marcio Adriano de Lima

Diretor De Patrimônio: Edmax Ferreira Santiago

Diretor Social: Rosinei Aparecida Piza de Paula

Procurador Jurídico: Jony Cezar de Lima Curcio

 

Conselho de Administração

Presidente: Roberto Messias da Silva

Vice: Cristiano Gonçalves Malvezzi

1º Diretor Secretário: Márcia Maria da Silva Faiz

2º Diretor Secretário: Fábio Augusto Oliveira Gouveia

Membro Efetivo: Ezequiel Lucas Sales

Membro Efetivo: Jhouser Francisco Jardim

 

Conselho Fiscal

Presidente: Fernando Henrique Faiz

Membro Efetivo: Jairo José Elesbão

Membro Efetivo: Lucimara Damázio Militão

Membro Efetivo: Nelson Honório Fernandes

Membro Suplente: Celina Aparecida da Silva

Membro Suplente: Ivone Gadanhoto de Souza

Membro Suplente: José Aparecido dos Reis

 

Conselho Consultivo

Ex-presidente De 1975 a 1981: Synésio Ramos Júnior

Ex-presidente De 1981 a 1983: Luiz Martini Neto

Ex-presidente De 2001 a 2007: Alberto Mascarini

Ex-presidente De 2008 a 2010: Aulecir da Silva

Ex-Presidente De 2011 a 2016: Ercio José Esbrisse

 

Auto Defensores

Membros Efetivos: Rosilene Araújo da Silva e Edson Correia de Oliveira

Membros Suplentes: Bruno Altero dos Reis e Caroline de Souza

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

30 de outubro de 2017

Seis dicas para fidelizar doadores da sua base

“Manter os doadores na base é mais barato do que buscar novos.” A constatação é de Christofer Müller, gerente de marketing e captação de recursos da […]
26 de outubro de 2017

1º Passeio Ciclístico do Grupo Alegria

A doação foi recebida por três das entidades filiadas a FEAG: CAC, Creche Lar Menino Jesus e Casmoçu.
25 de setembro de 2017

Mensagem do Presidente

O mundo passa por um momento de grandes transformações, em todas as áreas do conhecimento, das relações entre grupos, povos e até nas famílias. Neste cenário, […]