Associação de Pais e Amigos Autista da Baixa Mogiana – FONTE VIVA

A Associação de Pais e Amigos Autista da Baixa Mogiana (Fonte Viva) realiza projetos voltados à inclusão e a manutenção da criança e do adolescente na escola regular, habilitação e autonomia da criança e do adolescente para realizar atividades na vida prática e na vida diária.

A entidade promove também a autonomia, a inclusão social e a melhoria da qualidade de vida das pessoas com TEA (Transtorno do Espectro do Autismo).

A história da Associação teve início em 2000 a partir da necessidade em comum de duas famílias: Arlete de Lima Michelon e Paulo Cabral Michelon e Maria Conceição Aparecida Kuhl Damaglio e Luís Antônio Damaglio. Ambas as famílias com filhos autistas, que os levava para fazer atendimento no CEMA (Centro Especializado Municipal do Autista) na cidade de Limeira, um centro especializado em AUTISMO, na época a única instituição especializada da região.

Em 2001, a família de Maria Inês Zaia e Mário Antônio Zaia se unem as demais famílias, fortalecendo o desejo em ampliar o alcance de trabalhos desenvolvidos a exemplo do CEMA, para um número maior de crianças na região.

 Em 25 de setembro de 2001, é oficializada a Associação Fonte Viva, dando início aos contatos com o poder público tendo por finalidade estatutária promover a integração do autista na escola comum, sempre que possível, bem como nos meios de prática de esportes, cultura, lazer e recreação; desenvolver atividades pedagógicas adaptadas e adequadas; promover a criação de núcleos de residências; promover a criação de centro e, ou, departamento de diagnóstico, orientação e apoio às famílias; criação, desenvolvimento e manutenção, de um núcleo de ensino e socialização, visando habilitação, integração à vida comunitária de pessoas com TEA e orientação e amparo técnico às respectivas famílias e firmar Convênios com as Prefeituras dos municípios da Baixa Mogiana.

Após dois anos de luta e muito esforço, iniciam-se em 13 de agosto de 2003 as atividades do Núcleo de Ensino e Socialização do Autista (NESA), do qual a Associação é mantenedora. Desde então, os trabalhos são desenvolvidos em espaço alugado na região central de Mogi Guaçu, sendo de fácil acesso para as famílias atendidas. Inicialmente foram abertas 12 vagas para crianças no período da tarde, tendo a supervisão da terapeuta ocupacional do de Limeira, Cilene Falascina.

Em 28 de fevereiro de 2007, o trabalho foi ampliado com o oferecimento de atividades também no período da manhã, sendo inicialmente atendidas três crianças com características do Transtorno do Espectro Autista com foco na estimulação precoce (primeira infância). Era o início de um novo tempo para a Associação, de pioneirismo e vanguarda, passando a ser a principal e única referência na região com este tipo de atendimento.

A Associação de Pais e Amigos Autista da Baixa Mogiana (Fonte Viva) conta hoje com 43 colaboradores sendo: assistente social (2), psicólogo (3), monitor social (19), auxiliar administrativo (1), serviço geral (2), fonoaudióloga (1), terapeuta ocupacional (2), educador físico (3), auxiliar de educação física (1), secretária (1), auxiliar de escritório (2), diretora executiva (1), pedagoga (2) e coordenadora (3).

 

Objetivos

– Desenvolver ações especializadas para a superação das situações violadoras de direitos que contribuem para a intensificação da dependência;

– Promover acessos a benefícios, programas de transferência de renda e outros serviços socioassistenciais, das demais políticas públicas setoriais e do Sistema de Garantia de Direitos;

– Promover apoio às famílias na tarefa de cuidar, diminuindo a sua sobrecarga de trabalho e utilizando meios de comunicar e cuidar que visem à autonomia dos envolvidos e não somente cuidados de manutenção.

 

Missão

Proporcionar um atendimento especializado para pessoas com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) visando o desenvolvimento das potencialidades de cada um, estimulando-os nas áreas de assistência social, educação, saúde, lazer e integração à sociedade. Oferecer orientação e apoio as famílias buscando uma convivência adequada no lar e na sociedade, com o intuito de alcançar uma melhor qualidade de vida.

 

Visão

Ser referencia no atendimento especializado e na divulgação do autismo, preservando a transparência no trabalho que desenvolvemos.

 

Valores

Responsabilidade, Comprometimento, Ética e Transparência.

 

 

Sede da Fonte Viva:

 

 

 

 

 

 

Parceiros

Secretaria de Educação das Prefeituras de Mogi Guaçu, Mogi Mirim e Itapira.

 

Diretoria

Presidente: Maria José Lopes da Silva Gonçalves

Vice: Patrícia Campos Pedrini Nogueira

1ª secretária: Monise Soraya do Prado Lopes

2ª secretária: Ana Ruth Mari

1º Tesoureiro: Luis Antonio Damaglio

2ª Tesoureira: Luciana Moreira dos Santos

1ª Conselheira Fiscal: Leni Alves de Souza Silva

2º Conselheiro Fiscal: Claudinei José do Nascimento Manoel

3ª Conselheira Fiscal: Priscila Maura Pacheco Pontes

Advogada: Luciana Zacariotto Ricci

 

Projetos

– Serviço de Proteção Especial para Pessoas com Deficiência, Idosas e suas Famílias.

– Desenvolvendo Habilidades Cognitivas e de Coordenação Motora.

– Despertando.

 

Proposta Pedagógica

O projeto visa proporcionar o desenvolvimento cognitivo e funcional, levando-se em conta a fixação pedagógica, além de realizar um trabalho preventivo na evasão escolar. O maior beneficiário com a implantação do projeto são as crianças e suas respectivas famílias que são participantes ativos no projeto, pois o indivíduo com autismo tem enormes problemas em lidar com as situações corriqueiras do dia-a-dia, por isso há a necessidade de uma programação intensiva e extensiva para auxiliá-los, em nosso município não há um trabalho direcionado a esse público.

 

Ações

Ações Desenvolvidas Diariamente

– Caminhada: realizada ao redor do núcleo, alguns assistidos são acompanhados pelos profissionais para aprender a andar na rua, perceber o ambiente que os cerca e diminuir a agitação.

– Educação Física: consiste em atividades dirigidas e desenvolvidas pelo educador físico com o acompanhamento dos profissionais.

– Esportes Adaptados: o objetivo é melhorar a socialização, as habilidades motoras, e ao longo do tempo realizar a inclusão com crianças neurotípicas, onde possam chegar a frequentar clubes, parques entre outros, e realizar uma atividade física em conjunto.

– Relaxamento/ Estimulação Sensorial: realizada pela monitora social sob a supervisão da terapeuta ocupacional, com música e massagem, visando a consciência corporal e estimulação visual.

– Alongamento: realizado individualmente de acordo com a necessidade motor de cada um, com o objetivo de melhorar a postura, a flexibilidade, a elasticidade, a marcha, e os movimentos das articulações.

– Recreação: realizada pelos profissionais dentro e fora do núcleo em clubes, lanchonetes, sorveterias, parque e também atividades recreativas, dirigidas ou não, com a intenção de desenvolver a coordenação motora global, equilíbrio, tônus muscular, atenção e treinamento de regras.

– Alimentação: Todo dia é montado um cardápio diferenciado, nesse momento é ensinado o comportamento à mesa, disposição e utilização de talheres e a mastigação adequada.

– Trabalho em Sala Individual: as atividades são estruturadas a partir do plano individual levantado e os objetivos a serem alcançados com cada um.

– Trabalho em Sala Coletiva: atividades realizadas em grupo com intuito de promover a interação, além de trabalhar a tolerância e esperar a sua vez, partilhar e respeito ao outro. Essas atividades serão orientadas pelos técnicos.

– Entrada / Despedida: momento de recepção e despedida dos assistidos. Interação com os pares e organização da rotina.

 

Atividades de Vida Diária e Prática

– Atividade de Vida Diária (AVD): são realizadas atividades diariamente para que os assistidos adquiram maior independência, iniciativa e habilidade de autocuidado como: comer, escovar os dentes, uso do banheiro, entre outros.

– Atividade de Vida Prática (AVP): são realizadas atividades com o intuito de possibilitar que os assistidos adquiram maior independência na sua vida, como arrumar a mesa para comer, vestir-se, guardar material utilizado, entre outros. Serão realizadas situações práticas como pequenas compras no supermercado, comer em lanchonete, ir à loja, lavanderia terapêutica, manutenção do núcleo (limpeza e retirada do lixo) entre outras.

– Banho: o objetivo é explicar todas as etapas do banho e como deve proceder, como: organizar os utensílios do banho; se despir; lavar todas as partes do corpo; se enxugar; se vestir, calçar e pentear os cabelos.

– Trabalhos manuais: confecção de cartões, pintura em pano de prato, enfeites para festas, picaram espumas para confecção de almofada, caixas em MDF, bordados, entre outros. Os produtos confeccionados têm a supervisão da terapeuta ocupacional e expostos no bazar permanente da Associação para serem vendidos.

 

Endereço: Rua Dr. Luiz Anhaia Mello, 25 – Centro – Mogi Guaçu

Telefone: 3891-8636

E-mail: associacaofonteviva@hotmail.com

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

30 de outubro de 2017

Seis dicas para fidelizar doadores da sua base

“Manter os doadores na base é mais barato do que buscar novos.” A constatação é de Christofer Müller, gerente de marketing e captação de recursos da […]
26 de outubro de 2017

1º Passeio Ciclístico do Grupo Alegria

A doação foi recebida por três das entidades filiadas a FEAG: CAC, Creche Lar Menino Jesus e Casmoçu.
25 de setembro de 2017

Mensagem do Presidente

O mundo passa por um momento de grandes transformações, em todas as áreas do conhecimento, das relações entre grupos, povos e até nas famílias. Neste cenário, […]